sábado, 15 de abril de 2017

Coleção Marvel Salvat: Dinastia M

COLEÇÃO MARVEL SALVAT: DINASTIA M
Digitalização e Tratamento by Renato Ptl/HORDA Comics

PARA BAIXAR, CLIQUE AQUI

"Após os trágicos eventos de Vingadores: A Queda, um pequeno problema pairava no Universo Marvel: a Feiticeira Escarlate. Ela havia detonado os Vingadores e deixado um rastro de morte e devastação. Assim como a Fênix Negra, agora ela detinha um nível de poder quase inconcebível e, em seu estado metal desequilibrado, poderia causar um mal terrível ao mundo. 

A última coisa que se soube de Wanda Maximoff foi quando Magneto, seu pai, a levou consigo, depois que ela foi deixada num estado comatoso pelo Doutor Estranho. Os leitores ficaram com muitas perguntas em aberto. Onde ela estaria? Será que ainda tinha seus poderes? Como seus amigos heróis se sentiam em relação ao que havia ocorrido? Eles iriam puni-la ou ajudá-la no caminho para a redenção?  A resposta para tais perguntas é esta história - um minissérie épica, como não era vista na Marvel há muitos anos: Dinastia M. 

Com receio de criar spoilers sobre qualquer reviravolta da história, é melhor não falar muito. Mas, pode se dizer, com certeza, sem medo de revelar demais, é que Brian Michael e Olivier Coipel criaram uma grandiosa aventura, que se passa em uma realidade alterada, com grande elenco, poderosos confrontos e momentos realmente angustiantes."




4 comentários:

Antonio Bedran disse...

MUITO obrigado.

- talvez com essas duas edições da Dinastia M - "House of M" no original - eu me anime de entender a ZORRA que fizeram nesses holocaustos coletivos de heróis que andei, por anos, me esquivando de ler. Parece que os gringos levam para os quadrinhos com especial sede destrutiva a sua ganância de vender títulos não importa se tiverem que fazer nascer um Universo Disney todo novo, tipo assim, com o Donald sendo decapitado na Guilhotina para dar ensejo a uma saga com os 3 sobrinhos abrindo uma seção secreta do Manual do Escoteiro dedicada à Vingança e ai a "viagem"seguiria ao estilo Marvel/DC de destroçar TUDO o que minha geração viu como imutável panteão a serviço do Bem e da Humana Espécie. Mas eu entendo: um País capaz de eleger (mesmo com minoria de votos...) um Trump da vida, quadrinhos são café pequeno na hora de detonarem.
- Agora, lamúrias de lado de um cara AINDA apaixonado por Quadrinhos, nascido em 1957, o texto da postagem me estimulou mesmo a ler pela criatividade. Botarei o fígado, o baço e a pleura, até, de lado para curtir o que foi descrito. Obrigado, Eudes. Já superei um bocado. Coisa como Batman com arma de fogo nas mãos ainda não desceram (nem sei se um dia vai descer) mas continuou me trabalhando para receber o novo. Sem me aviltar, na medida em que eu perceber isso.
Abração!!
P.S.: Lembrei que um amigo me deu um DVD-ROM da Marvel, comprado lá nos EUA, com conteúdo das edições todas (até o lançamento do dito) de "House Of M". Em torno de umas 50 edições mais ou menos. Bacana a edição, no conjunto: pdfs "estruturados", por asim dizer, um, como página inicial, com imagens com links para as edições em ordem cronológica etc. Se interessar, te mando uma cópia. Deixe um alô, caso queira. Fique inteiramente à vontade quanto a isso, por favor, caso não se interesse - mas tem outros DVD-ROMs da Marvel que posso ver com ele nessa linha. Como o exemplo abaixo:

https://www.amazon.com/Amazing-Spider-Man-Complete-Collection/dp/B000HKIM7Q/ref=pd_lpo_65_tr_t_3?_encoding=UTF8&psc=1&refRID=GFTF19H8Z3FRC683XB0D

Eudes Honorato disse...

Bedran, meu inglês é ruim demais para ler gibis em inglês, já algumas coisas em espanhol, como por exemplo Supremo de Alan Moore, quando achei que nunca sairia aqui. Mesmo assim agradeço.

O texto é bom, mas não é meu, por isso está entre aspas. para poupar tempo e postar logo, eu copio o texto da propria edição, que é de um editor da Panini Itália. Então, claro que ele vai dizer que é tudo maravilhoso, assim , haja com suspeita.

Abração.

Antonio Bedran disse...

Obrigado pelo retorno!

Marcelo disse...

Eu vou baixar e ler. Espero não ser mais uma dessas histórias que se tornaram tão comum depois de 2002 para cá: histórias onde personagens que se caracterizavam pela ação começaram a falar sem parar até que as páginas terminam e você não viu nenhuma cena de luta, ação ou aventura.

Bons tempos em que os QUADRINHOS DE HERÓIS tinham ação e narrativa "verbal" em equilíbrio. Hoje temos excesso de bla bla bla e até Hulk passa o tempo de "conversé".

Business

category2